.

You are here: Sobre Schoenstatt > Heróis de Schoenstatt

Franz Reinisch

1903-1942

Franz ReinichNasceu na Áustria, e foi o único presbítero católico que foi executado no "Terceiro Reich" perante a recusa de juramento da bandeira a Hitler. Como decisão sobre uma questão de consciência, recusou lealdade a Hitler, depois de ter sido chamado às fileiras do exército.

Foi detido e condenado à morte, vindo a ser executado a 21 de Agosto de 1942. O Pe. Reinisch, Padre Palotino, austríaco, teve o seu profundo encontro com Schoenstatt em 1934, quando foram transladados de França para Schoenstatt os restos mortais dos "soldados heróis" schoenstattianos caídos na Primeira Grande Guerra. Na década dos anos trinta, trabalhou activamente no Movimento Apostólico de Schoenstatt, sobretudo no ramo masculino. A sua decisão de recusar-se a jurar bandeira a Hitler por razões de fidelidade à consciência, levou-o ao dilema de cada decisão radical cristã, que, no seu caso, significava não somente perder a vida, mas, prejudicar os pais, parentes e a própria comunidade religiosa a que pertencia. Esta decisão acarretava possíveis consequências negativas colocando em risco o Movimento de Schoenstatt e a comunidade dos Palotinos, uma das razões para os superiores não apoiarem a sua decisão que poderia também afectar cada um dos presbíteros e religiosos que juraram bandeira a Hitler. Não obstante, o Pe. Reinisch sentia-se pessoalmente chamado a seguir a sua vocação especial, bem como a sua consciência e ideal pessoal, sustentado pela Aliança de Amor.