.

You are here: Home

Editorial Abril 2015

Páscoa: Liberdade e Esperança

Procurais a Jesus de nazaré, o crucificado? Ressuscitou: não está aqui.
No anúncio pascal da ressurreição ressoam os dons da liberdade e da esperança. São uma experiência concreta, feita pela passagem de Deus libertador e salvador, e são dons que cada ano Jesus ressuscitado renova em nós.

editorial abr 2015“O senhor é a minha força e proteção a Ele devo a minha liberdade” (Ex. 15). A primeira Páscoa, é de fato, uma experiencia da ação libertadora de Deus. Ele passou pelo Egito e libertou o seu povo da escravidão, para o conduzir a uma vida nova. Cada ano se celebrava este acontecimento não apenas como algo passado mas como uma realidade que continuava a dar sentido à vida e à identidade daquele povo. Daí a profissão de fé em Deus salvador: Ele é Aquele que nos libertou.

Para nós cristãos, é no nosso batismo que recebemos esta liberdade que nos traz o Espírito de Cristo. E na vida de aliança, fazemos permanentemente esta experiência de libertação e do renascer. Jesus é a nossa liberdade! Na Sua Páscoa, Ele venceu a morte e hoje concede-nos a liberdade quando O deixamos entrar de verdade na nossa vida, para assim Ele transformar os nossos lugares de morte em túmulos vazios, fazendo a vida renascer.

Em cada Páscoa, Deus passa e liberta. Também este ano! Nesta Páscoa 2015, como é que Ele está a passar? Em que situações concretas? O que é que hoje nos ata? De que é que Ele nos quer libertar?

Sim, a Páscoa acontece tantas vezes: Deus passa na nossa vida quando somos salvos das águas dos pecados que nos sufocam, quando nos faz reviver depois de passar pelos desertos da dor e do desencontro; Ele passa com o seu perdão, Ele dá firmeza aos nossos passos vacilantes, Ele passa tantas vezes nas pessoas que coloca no nosso caminho para nos levantarem.

Ele quer passar em nós para sermos também nós instrumentos de liberdade porque há muitas coisas que nos atam mas quantas vezes somos nós próprios que atamos os outros; precisamos levar liberdade à nossa sociedade marcada por escravidões de injustiça, desencontros e falta de amor; também nas nossas famílias, nas nossas relações há atitudes e gestos que tiram a vida.

Façamos nós gestos de libertação e de Páscoa: A liberdade nasce da verdade, da humildade, do perdão. Constrói-se com a justiça, a solidariedade e o serviço. A libertação nasce do amor verdadeiro.

Na Páscoa fazemos também a experiência da esperança. Ela é a luz que se acende na escuridão.

A ressurreição de Jesus é a vitória que rasga horizontes novos na vida e na história. A nossa esperança tem o seu fundamento em Jesus Ressuscitado, porque n’Ele a vida venceu a morte, Ele é a razão da nossa esperança.

Viver a Páscoa em nós é decidir-se pela esperança, simbolizada na luz do cirio pascal que vence a escuridão. Para que a nossa vida seja pascal, continuemos a acreditar nas promessas do Deus da aliança que não nos abandona. Para sermos cristãos marcados pela Páscoa sejamos nós próprios testemunhas da esperança através da nossa vida. No meio do nosso mundo onde parece querer reinar a escuridão, sejamos uma luz de Esperança, sejamos portadores da Luz de Jesus ressuscitado.

Santa Páscoa! Aleluia. Aleluia.
Padre José Melo